terça-feira, 28 de outubro de 2008

Clube do Livro Respigarte 2009

O novo Clube do Livro começa já em Janeiro e vai ser diferente do anterior. Cada pessoa escolhe um livro, os livros serão distribuídos pelo último sábado de cada mês. Quem estiver interessado apareça na Trama, dia 13 de Dezembro, às 19h, com o livro escolhido e mais quatro livros, o vosso "best of"! Até lá (e obrigado à Trama, mais uma vez).

domingo, 26 de outubro de 2008

A Faca não corta o Fogo, Herberto Helder




"Não posso ouvir cantar tão friamente. Cantam sobre a minha vida.

Trouxeram a taciturna pureza das grandes noites do mundo.

Do antigo elemento do silêncio subiu essa canção devastadora. Oh feroz mundo puro, oh vida incomparável. Cantam, cantam.

Abro os olhos debaixo das águas silenciosas,e vejo que a minha lembrança é mais remota que tudo. Cantam friamente.

Não posso ouvir cantar."



(imperdível, uma leitura violenta de vida)

sábado, 4 de outubro de 2008

Blogtailors

Para quem se interessa por edição, livros e tudo (mas mesmo tudo) o que os rodeia, um site imperdível. Eles são os Booktailors.

http://www.blogtailors.blogspot.com/

Chance


Este livro conta a história de Chance, um jardineiro que nunca saiu da casa onde vive e que só vê o mundo pela televisão. Um mergulho na vida real mostra-nos Chance com uma pureza que está longe da nossa mais arisca imaginação. A ler!

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Curso de Literaturas do Mundo

Já está confirmado o curso que vou dar no Centro InterCultura, sobre Literaturas do Mundo, organizado pela Respigarte (http://www.respigarte.blogspot.com/) em quatro módulos independentes. Deixo-vos um cheirinho, aqui, dos conteúdos. Quanto a preços, dias, etc. enviem e-mail para respigarte@gmail.com que eu envio-vos a informação detalhada. O primeiro módulo começa já em Novembro!

CURSO DE LITERATURAS DO MUNDO
Para todos os que nunca sabem o que ler a seguir, uma viagem pelas literaturas do mundo, pelos movimentos e autores mais importantes

1º MÓDULO
Literatura Lusófonas

1 – Fim do século e passagem para o modernismo – Eça de Queiroz, Cesário Verde, Camilo Pessanha, entre outros
2 – Portugal: modernismo de Fernando Pessoa, Almada Negreiros, Mário Sá-Carneiro. A Revista “Orpheu”.
3 – Surrealismo de Mário Cesariny a Mário Henrique Leiria
4 – Neo-Realismo: literatura comprometida com a terra, a denúncia silenciosa do campo
5 – Literatura de intervenção \ Literatura anos 60 e 70 – a caminho da democracia
6 – Autores contemporâneos portugueses: da poesia à prosa
7 – Literatura Tradicional
8 – Literatura Africana lusófona
9 – Balanço


2º MÓDULO
Literatura Infanto-juvenil

1 – Literatura Infantil – conceito e autores
2 – Literatura Juvenil – conceito e autores
3 – Aspectos da literatura infanto-juvenil
4 - Balanço

3º MÓDULO
Literaturas Americanas

1 – Literatura hispano-americana – Realismo Mágico
2 – Literatura hispano-americana – Rulfo, Cortázar e Borges
3– Literatura norte-americana - poesia
4 – Literatura norte-americana – prosa – Literatura Pós II Guerra Mundial
5 - Balanço

4º MÓDULO
Literaturas Europeias

1 – Literatura Francesa: o surrealismo e Boris Vian
2 – Literatura Espanhola
3 – Teatro Inglês – Harold Pinter, Martin Crimp, Sarah Kane
4 – Balanço

terça-feira, 2 de setembro de 2008

o (verdadeiro) apocalipse dos trabalhadores

valter hugo mãe disse que cada história que se conta deve ser única, só assim vale a pena ser contada. neste livro ele consegue descobrir em bragança uma história (aparentemente comum) de trabalhadores - um trabalhador de leste e duas empregadas de limpeza que fazem biscates como carpideiras, em funerais. maria da graça e quitéria. maria da graça está apaixonada por um patrão que não sabe escrever o amor e que veste o fato do patrão agressivo e abusador mas que lhe mostra a grande literatura. quitéria apaixona-se pelo jovem ucraniano e este ensina-lhe os sinuosos caminhos da vontade que ela própria não sabia que existiam dentro de si.
é uma história apocaliptica sobre a humanidade dentro da assustadoramente real vida destas pessoas onde não falta o Cif dos ricos e lixívia dos pobres, onde o corpo humano é explorado com tanta mestria como a alma do mesmo. valter hugo mãe mostra assim uma realidade profunda no país e nas pessoas, levando-nos numa viagem onde a esperança de felicidade é tão difícil de encontrar. mas maria da graça consegue com a frieza de quem sabe que, quem não tem nada de terreno, deve encontrar dentro de si o seu próprio apocalipse.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Ministros da Noite


Deixo sugestão do Vítor, um livro fantástico, editado pela (não menos impressionante) Antígona, Ministro da Noite, de Ana Barradas. Em época de saldos, também para os livros, a Antígona voltou a pôr o livro à venda, por isso aproveitem!

"O livro "Ministros da Noite" da Antígona, contém uma coletânea de textos antigos (sécs XV e XVI e por aí em diante) que evidenciam o "lado B" da expansão portuguesa, desde o início até ao Ultra-Mar. O livro é muito bom e vale a pena ler: não existem filtros críticos, os textos são originais, portanto as conclusões são livres..."

sábado, 16 de agosto de 2008

Olívia








A OLÍVIA É A MAIOR




assim que li a olívia pela primeira vez (anteontem na verdade porque a rita e o nuno compraram para mim!) percebi que eu era assim um bocadinho como ela: "Olivia é uma porquinha incansável que tem energia a mais. Quer esteja a cantar Canções para cantar alto, a construir um arranha-céus de areia, a experimentar toda a roupa que tem no armário, a tentar despachar o irmão mais novo, a decorar as paredes da sala de estar ou a pedir vários livros ao mesmo tempo quando se vai deitar, ela nunca se cansa. O mesmo já não pode dizer a mãe, sempre fatigada mas com uma paciência infindável. Esta porquinha adora Jackson Pollock, Edgar Degas e salta à corda. É modernaça e sabe muito bem o que quer."








Batalha Incerta de Jonh Steinbeck






Há livros que têm de ser panfletários. Porque de vez em quando também nós podíamos ser um pouco mais panfletários. Vejo-nos (quase todos) a perder a(s) chama(s) que nos fazia, de certa forma, passar "para lá" do limite do aceitável dentro do nosso idealismo. Steinbeck descreve aqui a história de dois homens, membros do Partido, que se infiltram num acampamento de trabalhadores da apanha da maçã perto da década de trinta do século passado no interior dos Estados Unidos. Aí vão instigar os trabalhadores a fazer a greve para exigirem melhores condições de trabalho. O livro conta a história dessa greve, que envolveu centenas de trabalhadores.

Não existia neles a sensação de inutilidade, de desespero. Estavam calmos e trabalhavam, e na sua mente, lá bem no fundo, havia a convicção de que mais cedo ou mais tarde venceriam, encontrariam o caminho de saída do sistema que odiavam. Acredita, havia naqueles homens uma espécie de tranquilidade.
E por falar em livros panfletários não posso deixar de me lembrar do filme Os Edukadores. Imperdível!
Jule é empregada num restaurante e tem um segredo - um acidente de automóvel obriga-a a fazer pagamentos mensais a Hardenberg, um rico empresário. O namorado Peter e o amigo Jan também guardam um segredo - são os Edukadores, que assaltam as casas dos mais ricos como acto de rebelião e afirmação política, alterando a ordem dos objectos que têm nas suas casas provando assim que nunca estão a salvo, apesar do dinheiro que possuem. Quando Peter vai de férias, Jan e Jule revelam os seus segredos e a intimidade torna-os muito próximos. Decidem entrar na casa de Hardenberg, mas são surpreendidos pelo empresário. Resta-lhes ligar para Peter e confrontar traições e ideais.

A minha canção podia arder-me

17 de Novembro 21h30 Cossoul Av. D. Carlos I 61 Lisboa  Há vários conceitos de escrita, o difícil é reconhecê-los sem cair em f...