terça-feira, 30 de novembro de 2010

Luiz Pacheco na Revista K - é imperativo ler!

"Luiz Pacheco, escritor, sofre de asma brônquica. Calvície precoce. Fractura do úmero devido a tentativa de suicídio na Av. De Berna. Queda de dentes natural quase total. Efizema pulmonar bilateral diagnosticado em 1958, obrigado a uso permanente de botija de oxigénio, à noite e ao levantar. Hérnias inquinais não operadas com uso de funda dupla. Hipersensibilidade ao álcool, o que o conduziu a uma fraudulenta fama de alcoólico incorrigível.
Tratamento de desintoxicação no Centro António Flores, ambulatório e dois internamentos. Miopia e astigmatismo, quase cegueira. Bissexual assumido. Leve surdez do ouvido esquerdo. Andropausa total. Três mulheres reconhecidas. Três estadias no Limoeiro: 1957, 1959, 1968. Duas estadias na cadeia das Caldas da Rainha: 1967, 1968. Prisões ocasionais e breves em esquadras da polícia. Autor, entre outros títulos, de: Literatura Comestível. O libertino passeia por Braga, a idolátrica, o seu esplendor. Exercícios de Estilo. Comunidade."

Tudo aqui.

A Literatura

Ontem disseram-me assim: A Literatura é o que eu gostar de ler.
Discutível, insólito, quase errado.

Mas eu roí-me de inveja.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

O surrealismo português em apontamentos

  • 1942 - café Hermínius - fase dadaísta
  • 1944 - café Moderno
  • 1947 - café Mexicana
  • 1956 - café Gelo - fase Luiz Pacheco (Pacheco: "Dali não saiu revista, doutrina, escola que se aproveitasse. Então?! Havia, isso sim, um espaço de convívio em liberdade plena, feroz e mútua crítica.")
  • escola pouco definida - Cesariny tentou...
  • muita Poesia
  • produções colectivas
  • cadavre exquis
  • humor negro
  • absurdo
  • poesia plástica
  • imagens assentes na associação de realidades afastadas
  • transtornar a realidade para a transformar numa outra
  • importância do amor - amor louco, compulsivo, inconsciente
  • Ramos Rosa: "Por mais aleatórias e arbitrárias que sejam as imagens de um poema surrealista, não podemos negar que nelas se oculta ou se manifesta algo que não pode dar lugar a nenhuma especulação, algo que escapa a qualquer espécie de estruturação, algo que porventura é ilegível mas não inaudível, algo, em suma, informulável mas presente na vibração contínua da linguagem."
  • real liberdade de cada um consigo
  • escrita automática
  • colagem
  • inventário
  • fim do autor
  • poema visual
  • fim da ditadura da razão e dos valores burgueses como pátria, família, religião, trabalho e honra
  • ideias de bom gosto e decoro devem ser subvertidas
  • arte é feita por cidadãos comuns
  • Maurice Blanchot: "há nele uma força maravilhosa, uma juventude ébria e poderosa"

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

CURSO DE LITERATURAS AMERICANAS (agora à noite e agora na Trama)

com Rosa Azevedo e Nuno Marques
Livraria Tama, Rua São Filipe Nery, 51-A

Inscrições na Livraria ou para rosa.b.azev@gmail.com


de 22 de Novembro a 20 de Dezembro (todas as 2ª à noite)

21h – 22h

45€


PROGRAMA

22 Novembro
Literatura Hispano-Americana: abordagem histórica, Realismo Mágico

29 Novembro
Literatura Hispano-Americana: Cortázar, Rulfo, Borges, Sábato entre outros

6 Dezembro
Literatura Norte-Americana: A autobiografia como traço fundamental da literatura Norte-Americana desde o Puritanismo e a autobiografia espiritual até à Geração Beat.

13 Dezembro
Literatura Norte-Americana: Escrever na América é escrever a América. Os Estados Unidos enquanto obra de ficção e a literatura sobre o Oeste.

Escrever esta morada na barra de endereços para ter acesso aos conteúdos:

http://cursodeliteraturanorte-americana.yolasite.com/

20 Dezembro
Balanço


FORMADORES

Rosa Azevedo
Rosa Azevedo nasceu em 1982 em Lisboa. Terminou em 2004 a licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas, maior em variante de estudos de portugueses e franceses e minor em Literaturas do Mundo, e em 2008 o mestrado em Edição de Texto. Tem realizado desde 2007 diversos cursos de literatura dos quais se destaca o Curso de Literaturas do Mundo realizado de Novembro de 2008 a Junho 2009, em parceria com a Associação InterCultura Cidade e o workshop de Literatura Portuguesa do séc. XX na Livraria Trama, em 2010.


Nuno Marques
Após ter saído da Marinha Portuguesa onde foi tradutor e correspondente do jornal de bordo do Navio Escola Sagres licenciou-se em Estudos Norte-Americanos na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Tendo grande interesse pela obra da Geração Beat orientou o seu percurso académico para o estudo das obras destes autores do qual tem dado conta nos encontros anuais da Associação Portuguesa de Estudos Norte-Americanos. Foi bolseiro ao abrigo da Bolsa da Universidade de Lisboa / Fundação Amadeu Dias com projecto de investigação nesta área. Livreiro nos últimos anos, ganhou o prémio de poesia Jovens Escritores 2006.

Escritoras esquecidas do séc XX

As leituras que faço levam-me por muitos caminhos, diferentes uns dos outros. E às vezes há sítios onde me deixo ficar, desenvolvendo uma pe...