quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Resolvi escrever sobre as casas. Tenho as palavras em ninho no corpo e o corpo em ninho dentro da casa. Mas se calhar ainda não é hora de escrever. É hora de pensar e fazer as pazes com a memória desta casa. Prepará-la para ser um lar dentro dos olhos. Ainda não amadureci a casa para que a escrita se abra em flor. Então espero que me falem de casas e já ouvi muito sobre casas. Mas não o suficiente. Quero encher um planeta inteiro de pensamentos sobre a casa. Quero pensá-las bem e quando as tiver desenhadas começo a escrever sobre elas.
Ainda não chegou a hora de escrever.

Sem comentários:

Manuel Resende

Manuel Resende, Em Qualquer Lugar seguido de O Pranto de Barlomeu de Las Casas , &Etc, 1997