terça-feira, 20 de janeiro de 2015

NicotinaZine #07

ouvi falar pela primeira vez do conceito de fanzine há uns anos valentes, quando me perguntaram se não queríamos fazer uma com a Respigarte que andava a produzir alguns produtos culturais ditos “alternativos” ou “independentes” ou outro termo igualmente discutível. fiquei na altura fascinada com o espaço de liberdade com o qual se definia a revista, despretensiosa, leve. uma revista que pertencia em absoluto à tríade editor, leitor, autor, numa relação pouco mediada, com o mínimo de intervenção entre o que quer ser dito e o que é lido.

a NicotinaZine é uma revista-comunidade, pertence aos editores-poetas Marta Navarro e João Silveira que passam parte do seu tempo e descobrir alguns projécteis literários que arriscam (porque podem e bem) publicar na revista. para além disso adoptam alguns escritores que têm crescido com a fanzine aproveitando esse espaço para testar textos que não cabem noutros sítios. assim a NicotinaZine é também um espaço de teste, experiência, novidade.

saiu agora a NicotinaZine #07. um número que segue a tradição dos outros números, com uma forte componente gráfica com ilustrações plurais que causam o já esperado efeito de estranheza e compromisso. páginas onde nos demoramos em ligações e pontes entre as páginas que as rodeiam.

não é fácil conseguir-se a unidade que a NicotinaZine consegue aqui. com uma liberdade grande dos editores que optam por deixar a escrita ao critério dos autores, a verdade é que quando lemos este número encontramos uma unidade forte. entramos dentro de jogos mentais muito privados, que nos acontecem sem que normalmente os consigamos objectivar e nomear. aqui são expostos como se os autores estivessem a dialogar uns com os outros, numa partilha de um segredo que torna esta revista um espaço de conforto e silêncio. solidão que é imposta pelo dia, desejada quando não se alcança, espaço precioso de criação e de memória, viagem à infância, a um espaço tão perdido quanto necessário.

é um número poderoso e raro. já escrevi demais porque este número pretende ser um segredo para cada um dos leitores. e cada um terá a sua própria história para escrever.

para informações, dúvidas, compras on-line &etc escrevam para nicotinazine@gmail.com. à venda também nas melhores livrarias do país, para já no Sr Teste, Pó dos Livros, Letra Livre em Lisboa e Snob, em Guimarães. 





Sem comentários:

Manuel Resende

Manuel Resende, Em Qualquer Lugar seguido de O Pranto de Barlomeu de Las Casas , &Etc, 1997