segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Uma noite na livraria e...

Já se sabe como é e já antes aqui foi dito: o Natal espalha livros por aí. Aos montes. Ontem vi quatro preciosidades, daquelas maravilhosas. Comprei a primeira, deixo as outras para depois. Quase quase voltei a gostar do Natal.



A Servidão Humana, de Somerset Maugham. Tive de comprar. Esgotado há anos era um dos insondáveis mistérios da edição, como a Montanha Mágica. Mais uma vez a a Leya a deixar-me com o coração dividido. Desta vez é da Asa.




É o Possidónio Cachapa. Apesar de ter ficado um bocadinho zangada com ele no último que escreveu ainda o amo de coração. A descrição promete:

"Num mundo coberto de neve e gelo, uma mulher agarra-se à vida, enquanto o seu passado se materializa aos poucos. Noutro local, um rapaz que usa em permanência umas orelhas falsas de coelho procura consumar a sua paixão erótica por uma provocadora rapariga-manga. Por cima de ambos, a sombra daqueles que já foram homens e que percorrem a Terra em busca dos que vão morrer. O Mundo Branco do Rapaz-Coelho é um romance sobre um universo em autodestruição e os limites da condição humana."

Quanto a estes é a Cavalo de Ferro de volta, e tão bem tantas vezes, é só livros preciosos pelas mesas. O último Christensen e o Cortazar em grande, como sempre, mas desta vez talvez um bocadinho melhor ainda...


Encheram-me os olhos!

São eles:

O Modelo
de Lars Saabye Christensen
Cavalo de Ferro

O Mundo Branco do Rapaz-Coelho
de Possidónio Cachapa
Quetzal

A Servidão Humana
de Somerset Maugham
Asa

A Volta ao Dia em 80 Mundos
Júlio Cortazar
Cavalo de Ferro

Sem comentários:

A minha canção podia arder-me

17 de Novembro 21h30 Cossoul Av. D. Carlos I 61 Lisboa  Há vários conceitos de escrita, o difícil é reconhecê-los sem cair em f...