quarta-feira, 2 de maio de 2012

no 1º de Maio comprei este


o meu querido Rancière pega na história dos proletários do início do século XIX e faz uma ponte com a contemporaneidade. nada mais actual, portanto.

Sem comentários:

Manuel Resende

Manuel Resende, Em Qualquer Lugar seguido de O Pranto de Barlomeu de Las Casas , &Etc, 1997