terça-feira, 10 de julho de 2012

Manifesto da reacção

Manifesto

Ma-ni-fes-to

Contra o poder das palavras de-co-ra-das. O desvio do cérebro em detrimento dos olhos.
Contra o deleite puro. O engano da arte. A distracção da arte. Manifesto contra a arte como
distracção. Engodo.

Em favor da luxúria. Das tremuras. Das tonturas. Da revolta. Da ternura. Do amor.
Contra o corpo agrilhoado, a favor da paixão. Contra as palavras de-co-ra-das. A favor do
arrependimento, do irreflectido, da névoa nos olhos e no discernimento.

Por palavras que te encalham em vergonha alheia, em embaraços, em tintas na parede e nas
mentes, que te fazem agir e reagir.

Re-a-gir.

Pelas palavras que te fazem reagir, que te fazem reagir, que te fazem reagir, que te fazem
reagir, em loop ascendente.

Manifesto pelas palavras de amor que nos fazem amar quem desconhecemos. Que nos fazem
embarcar em viagens alheias. Pela surpresa, o desconhecido e outra vez a surpresa.

Pelas palavras que pertencem a quem não sabe ler palavras. Que não são palavras. Pela
reacção. Pela surpresa. Pelo poder do manifesto da reacção.


Sem comentários:

Clarice Lispector

À Descoberta do Mundo, Clarice Lispector, Relógio de Água