segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Jesus o Bom e Cristo o Patife

Este é um livro que nos apresenta a história do Novo Testamento reescrita. Desdobra Jesus Cristo em dois irmãos gémeos, Jesus e Cristo. Jesus que apregoa a chegada de um novo reino e o irmão, Cristo, que o segue retirando informações sobre não apenas o que diz mas também os milagres que, aparentemente, realiza.
O livro vale pela fábula que é, pela história que reescreve, tão mais plausível e possível que a outra. Jesus não é nunca posto em causa, o que é posto em causa é o aproveitamento que a Igreja faz dessa história. Na verdade este livro mostra como aquilo que Jesus pregava não é aquilo em que se transformou a Igreja, é muitas vezes o seu contrário. E tem um momento alto, obrigatório mesmo para quem não quer ler o livro todo, que é, quase no final, quando Jesus reza a Deus e diz que o silêncio e a postura deste nunca vão levar os homens a caminho do Reino. Explica como gostaria que a Igreja enquanto instituição fosse e diz o que pode falhar. E tudo o que pode falhar é o que sabemos hoje que falhou.
Um livro divertido e importante. Acutilante. No sítio certo.

Sem comentários:

Manuel Resende

Manuel Resende, Em Qualquer Lugar seguido de O Pranto de Barlomeu de Las Casas , &Etc, 1997