domingo, 5 de janeiro de 2014

esclarecimento face a uma reclamação de uma voluntária do LEVA - ler e voz alta (www.leremvozalta.org)

Caros voluntários e leitores,
o LEVA recebeu uma reclamação de uma voluntária e creio que se impõe um esclarecimento público para esclarecer a posição do LEVA bem como deixar claro todo o processo que nos trouxe à forma como hoje funcionamos.
O LEVA surgiu em Agosto de 2012 com o plano de, a partir de trabalho voluntário auto-proposto, oferecer a custo zero audio-livros a todos aqueles que não pudessem, por várias razões, aceder ao livro físico estando por isso em desvantagem numa realidade em que o mercado do audio-livro é absurdamente diminuto (apesar da sua grande qualidade) e portanto esses leitores estariam sempre em desvantagem face a quem não tivesse essa limitação. Foi lançada a ideia que foi também apoiada por alguma visibilidade na comunicação social o que facilitou a oferta bastante grande de voluntários. A maioria desses voluntários são leitores, depois temos os técnicos em menor número, e depois várias outras categorias – estúdios profissionais, a designer que fez a imagem,o programador do site, alguns autores e editoras que ofereceram direitos, seja espontaneamente seja contra pedido.
O que tem faltado no LEVA são encomendas. Tenho contactado empresas e instituições, tenho contactado particulares, fizemos o site e o facebook, espalhámos a palavra. Ainda assim as encomendas rareiam. Tivemos apenas duas encomendas que incluíam alguns livros e foi aí que todos os voluntários foram contactados, após termos conseguido o apoio das editoras que infelizmente não se verificou para a totalidade da encomenda. Escolhemos os voluntários e para esta encomenda o critério escolhido foi aceitar leitores que se tivessem oferecido com técnicos uma vez que havia alguma pressa na realização das gravações. Claro que ficou decidido que na próxima encomenda o critério seria outro e os voluntários que gravaram estes livros não estariam no topo da lista para dar oportunidade a outros. Essa segunda encomenda ainda não se verificou.
A reclamação vem no seguimento de um post no facebook que fala da necessidade / vontade de mais voluntários após alguns deles terem ficado sem livro atribuído nessa primeira e única encomenda. A razão para o ter feito prende-se com diversas razões, a saber:

  • havendo mais voluntários pelo país pode aparecer oportunidade de juntar um técnico de uma determinada cidade com um leitor que já lá esteja permitindo assim descentralizar o projecto das grandes cidades, nomeadamente Lisboa
  • os voluntários podem oferecer-se para outras actividades que não a leitura – como exemplo já tive voluntários que se ofereceram para contactar empresas e marcar reuniões ou para fazerem a ligação com meios de comunicação
  • queremos que o LEVA cresça e tenha cada vez mais encomendas. Só com o esforço de todos na divulgação e participação activa o poderemos conseguir, daí que o corpo de voluntários aumentar, logo aumentar o envolvimento das pessoas no desenvolvimento de um projecto que pode ser muito maior do que é, é sempre positivo

A dita reclamação falava também das expectativas criadas nos voluntários. As expectativas são de todos. Quando criei o projecto em 2012 não imaginei que tivéssemos tão poucas encomendas. No entanto estamos todos no mesmo barco e creio que as expectativas que nunca poderemos deixar goradas são as dos nossos leitores, que nos encomendam livros, o que acredito que não tem acontecido, graças ao trabalho de todos. Este projecto é nosso, meu e dos voluntários, e o nosso trabalho e vontade é de os ajudar juntando esforços, criando ideias, pensando em conjunto. Se queremos fazer mais, e sei que se todos o sentirem teremos aqui um grupo muito forte, vamos em conjunto, de forma construtiva, pensar em como poderemos fazer este projecto crescer e não esperar que cresça sozinho. 
A dita voluntária abandonou o projecto por vontade própria. Fica a vontade que tal força e dinâmica possam ser aproveitadas para outros projectos.
A reclamação falava também da falta de organização por ser uma única cabeça à frente do projecto. Aqui, e apenas aqui em nome pessoal, vos digo que desde que comecei o projecto até hoje que não o faço de forma diminuída ou desorganizada mesmo com as naturais adversidades que surgem, porque não sei trabalhar pela metade e tento nunca o fazer. O trabalho conjunto tem permitido que essa minha vontade se mantenha realizável. O que na reclamação surgia como desorganização é apenas a forma escolhida para levar o trabalho avante. Se não concordarem com o método poderemos trabalhá-lo através da construção, em conjunto, de métodos alternativos. 
Quanto aos outros voluntários deixo aqui a minha vontade em ouvi-los, esclarecer as questões que possam ter, pedir toda a ajuda e colaboração no desenvolvimento deste projecto ainda tão recente, sobretudo ao nível das ideias que nos possam fazer ter mais encomendas.
Todos gostávamos que este projecto estivesse a chegar a mais gente. Só nos sobra fazer por isso. Redobro o meu agradecimento a quem o faz comigo, diariamente, no LEVA. Espero poder chegar a todos, um dia. Era apenas sinal que teríamos chegado a mais leitores, de forma mais global e mais eficaz.

Reitero como sempre reiterei a minha total disponibilidade e abertura para esclarecimentos. Os meus contactos estão todos no site www.leremvozalta.org.
Um bem haja a todos,

rosa azevedo

Sem comentários:

Escritoras esquecidas do séc XX

As leituras que faço levam-me por muitos caminhos, diferentes uns dos outros. E às vezes há sítios onde me deixo ficar, desenvolvendo uma pe...