quarta-feira, 2 de outubro de 2013

os cadáveres esquisitos escritos na Pó dos Livros, num dia surrealista (II)

quando espreito atrás da porta digo-te o segredo.

e se afinal? vamos continuar a existir.

quando ela põe o vestido azul conta uma história com um tom de amarelo.

quando o mar estiver vermelho o futuro não existirá. mas um dia hei-de lá chegar.

se estiver alguém à minha espera a vida será amada.

quando eu crescer, um dia gostaria de voar.

quando me sento no sofá se calhar vou ficar confortável. e quando o lobo mau chegar diz-lhe que fui dar uma volta... mas não demoro ok?


Sem comentários:

Escritoras esquecidas do séc XX

As leituras que faço levam-me por muitos caminhos, diferentes uns dos outros. E às vezes há sítios onde me deixo ficar, desenvolvendo uma pe...